Welcome
Advertising is the way great brands get to be great brands.
We Are Awesome Folow Us
  • Não há produtos na sacola.
Home  /  Mercatto Casa   /  Saravá, meu irmão!

Mesmo que você não frequente os terreiros de cultos religiosos afro-brasileiros, com certeza você já deve ter visto ou escutado a palavra Saravá antes. Vinícius de Moraes, Martinho da Vila e até Os Mutantes já cantaram a expressão, comumente utilizada na Umbanda e no Candomblé, em suas músicas.

Mas, você sabe o que ela realmente quer dizer?
Buscando em suas raízes, Saravá significa salvar. Tanto no sentido do dom da salvação, quanto no do ato de saudar outra pessoa.  Para ser entendido de maneira mais simples , seu conceito é traduzido como sendo “salve” e “bem-vindo”.

Acredita-se que grafia e a sonoridade do termo surgiu da mistura linguística entre os portugueses e os escravos trazidos ao Brasil. Ao tentarem dizer a palavra portuguesa “salvar”, os negros que vieram da África, e portanto, falavam as línguas bantus, pronunciavam “salavar”.  Com o tempo, por conta dessa influência da fala, a palavra acabou se tornando “saravá”.

Entretanto, seu verdadeiro sentido vai além da nossa compreensão. Saravá é muito mais do que um singelo cumprimento. É uma saudação de respeito de máximo nível, que carrega um sentimento de profunda reverência, apreço e estima. É um gesto de humildade, amizade e bondade que honra a força divina que existe dentro de todos os seres.

Na Umbanda, quando vocalizado ou emitido como um mantra durante as celebrações, é a aclamação a todas as entidades espirituais. Representa a força que movimenta a natureza, e tem o poder de atrair boas vibrações, afastar energias negativas e induzir os que estão presentes à mais profunda reflexão.

E, assim como a expressão Axé, Saravá é uma palavra mágica, que irradia diversos princípios do bem, e que em nada representa o estereótipo ruim e as conotações desagradáveis que muitas vezes são disseminadas pelo preconceito e pela falta de informação.

Saravá a todos!

Nenhum comentário

DEIXEI UM COMENTÁRIO